fbpx

Empréstimos Colaterais em Belas Artes – Uma lição rápida sobre o Impressionismo


This post is also available in: English (Inglês) Français (Francês) Deutsch (Alemão) Italiano (Italiano) Español (Espanhol)

empréstimos colaterais contra a arte impressionista

 

 

Oferecendo tanto valor quanto o estilo, a arte fina tem o benefício de ser tão bonita quanto valiosa – com carreiras inteiras baseadas na análise e comercialização de pinturas clássicas e retrato. Na New Bond Street Pawnbrokers, compreendemos o valor das belas artes – do Impressionismo à Arte Nouveau – e, como tal, podemos oferecer empréstimos pendentes contra estas obras de arte, com muitas pinturas impressionistas a serem usadas como forma de acesso a dinheiro.

Mas quando se trata de saber o valor do que se tem, o que faz exatamente uma pintura impressionista, e como se sabe se tem arte clássica ou uma pintura de uma época completamente diferente? Há algumas dicas que pode dar uma olhada quando se trata de saber se tem obras de arte impressionistas nas mãos:

Pintura ao ar livre

Um dos grandes temas da arte impressionista é a ideia de levar a arte para fora e pintar ‘no local’, em vez de confinar o talento artístico a um estúdio ou sala. Como tal, a arte impressionista é muitas vezes muito mais fluida e baseada na natureza, em comparação com o retrato tradicional e imagens colocadas, e muito mais espontânea em estilo. Estilos comuns encontrados nestas pinturas são paisagens e paisagens ao ar livre.

Desenvolvido por Monet em França na década de 1860, este estilo de pintura e criação tem sido popular desde então, oferecendo um melhor fluxo e perspetiva única de arte. Embora Claude Monet seja um dos artistas mais conhecidos, muitos pintores e autoproclamados impressionistas levaram ao ar livre quando se tratava de criar as suas obras-primas, resultando em luz e cor mais definidas e orgânicas na sua obra.

 

empréstimos contra a arte impressionista

 

 

Definindo a cena

As paisagens são significativas no impressionismo, e o nosso amor pela paisagem aguarela e postais perfeitos provém deste amor ao ar livre. O objetivo não é criar uma imagem foto-perfeita ou uber-realista – é ter uma sensação de lugar e uma sensação de luz e movimento, e capturar a vida que rodeia o artista. É por isso que o cenário é uma grande parte deste movimento.

Algumas pessoas descrevem o movimento do impressionismo como “inacabado”, porque muitas cenas e estilos têm muito pouco por definição nítida. Em vez disso, confiam em mudanças subtis de cor e pinceladas curtas para criar a sensação de uma cena em vez do aspeto direto da cena.

Pense numa lente de foco suave numa câmara – isto é em parte como a pintura do impressionismo foi composta. Exemplos famosos incluem A Ponte em Sèvres de Alfred Sisley e Poplars na Epte por Claude Monet, ambos focados na paisagem e na sensação de uma localização sobre linhas e formas fortes e arrojadas.

 

 

 

Vida quotidiana

O impressionismo não se limita apenas ao cenário, no entanto, e os envolvidos no movimento também estavam muito interessados na normalidade quotidiana da vida, em vez de colocarem retratos e famílias. Outro tema proeminente neste movimento artístico são cenas do quotidiano, como as crianças brincando, ou pessoas dormindo e até mesmo tomando banho. Este conceito fez para pinturas únicas e fascinantes que eram uma janela para a vida quotidiana.

A textura desempenha um papel importante no impressionismo, mais nas imagens das pessoas do que em paisagens razoavelmente estáticas. Isto resulta no efeito algo ‘desarrumado’ de tinta muito grossa e cores em camadas, enquanto estilos de pintura passados eram bastante planos sobre a tela. Transformar uma pintura impressionista de lado pode dar-lhe uma ideia clara das muitas camadas e espessuras de tinta, resultando em picos e calhas na superfície.

Pinturas famosas focadas na vida e todas as coisas que a rodeiam incluem A Pequena Empregada do Campo de Camille Pissarro e A Menina de Berthe Morisot em um Divan. Ambos fazem uso de pinceladas pesadas e iluminação de forma a criar retratos que são muito mais naturais e menos colocados, sem os contrastes e linhas gritantes de estilos mais tradicionais.

Tenho uma peça impressionista nas minhas mãos?

Se acha que tem alguma arte valiosa nas mãos, a primeira coisa a fazer é valorizar a obra de arte. Um profissional poderá aconselhá-lo sobre todas as nuances e estilo envolvidos no movimento impressionista e dar-lhe uma boa ideia da idade da sua pintura.

Para aqueles que sabem que a sua pintura tem valor, e estão à procura de um empréstimo, os corretores de penhores de New Bond Street têm tudo o que precisam. Sabemos o valor da arte e sabemos que podemos ajudá-lo. Contacte-nos hoje para saber mais sobre os nossos empréstimos contra belas artes ou pinturas impressionistas.

Oferecemos crédito instantâneo com papelada mínima, além de conselhos especializados em todo o lado. Alguns dos muitos artistas contra os quais emprestamos incluem Andy Warhol, Bernard Buffet, Damien Hirst, David Hockney, Marc Chagall, Raoul Duffy, Sean Scully, Tom Wesselmann, Tracey Emin, Banksye Roy Lichtenstein para citar apenas alguns.



Be the first to add a comment!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


*



Authorised and Regulated by the Financial Conduct Authority